N. K. Jemisin vence o Hugo 2016 de Melhor Romance. Conheça os vencedores.

Depois das polêmicas envolvendo o Prêmio Hugo do ano passado, a edição de 2016, anunciada no último dia 20, representou uma significativa derrota para os “Sad Puppies”, campanha liderada por autores reacionários como Kameron Hurley, Vox Day e Larry Correia na tentativa de impedir uma suposta guinada “progressista e politicamente correta” nas indicações ao prêmio, considerado o maior dedicado a trabalhos de Ficção Científica e Fantasia. Hurley chegou a reclamar da dominação de “autores de cor e mulheres” nas categorias premiadas.

Mesmo com os “Sad Puppies” repetindo a estratégia de votarem em bloco, a edição deste ano teve apenas duas categorias “No Award” (a maioria dos votantes escolhendo não premiar nenhum dos indicados), contra cinco no ano passado, quando até mesmo as prestigiadas categorias de melhor novela e melhor conto terminaram sem vencedores.

“The Fifth Season”, primeiro livro da série “The Broken Earth”, escrito pela norte-americana NK Jemisin, recebeu o prêmio de Melhor Romance. Jemisin, que já sofreu ataque racista de Vox Day, já havia sido indicada três vezes para o Hugo. Além dela, outras três mulheres venceram nas principais categorias: Nnedi Okorafor, por “Binti”, como Melhor Novela; Hao Jingfang, por “Folding Beijing” (em tradução de Ken Liu), como Melhor Noveleta; e Naomi Kritzer, por “Cat Pictures Please”, como Melhor Conto. Veja abaixo a lista completa dos vencedores:

Vencedores do prêmio Hugo 2016

Melhor romance: “The Fifth Season”, de NK Jemisin
Melhor novela: “Binti”, de Nnedi Okorafor
Melhor novela: “Folding Pequim”, de Hao Jingfang (traduzido por Ken Liu)
Melhor conto: “Cat Pictures Please”, de Naomi Kritzer
Melhor trabalho relacionado: No Award
Melhor quadrinho: “The Sandman: Overture”, escrito por Neil Gaiman com arte de JH Williams III
Melhor apresentação dramática (longa): Perdido em Marte, argumento de Drew Goddard, dirigido por Ridley Scott
Melhor apresentação dramática (curta): Jessica Jones: “AKA Smile”, escrito por Scott Reynolds, Melissa Rosenberg, e Jamie King, drigido por Michael Rymer
Melhor editor (ficção curta): Ellen Datlow
Melhor editor (ficção longa): Sheila E. Gilbert
Melhor artista profissional: Abigail Larson
Melhor semiprozine: Revista Uncanny, editada por Lynne M. Thomas & Michael Damian Thomas, Michi Trota, e Erika Ensign & Steven Schapansky
Melhor fanzine: “File 770”, editada por Mike Glyer
Melhor Fancast: No Award
Melhor escritor amador (fã): Mike Glyer
Melhor artista amador (fã): Steve Stiles
Prêmio John W. Campbell para o melhor novo profissional de ficção científica ou fantasia, patrocinado pela Dell Magazines (não é um Prêmio Hugo): Andy Weir

LEIA TAMBÉM: