Cadê o Escambau que estava aqui?

Vocês devem ter percebido que o Escambau se aquietou um tantinho nos últimos dois meses. Menos textos publicados, Escambacast em hiato, Jornada nas Escritas sem vídeo novo. Por mais que os Escambanautas continuassem convivendo, produzindo e interagindo – e devemos lembrar, inclusive, que o Escambaclube floresceu nesse período –, a verdade é que as atividades esfriaram, não obstante o número de integrantes do coletivo continuar a crescer.

Para uma explicação satisfatória, precisamos voltar ao começo deste ano, quando o site entrou de fato em operação. À época, não somávamos nem trezentos escambanautas no total, mas já tínhamos o plano de disponibilizar uma plataforma para dar voz e alcance ao grupo. Presença online era uma necessidade premente. Ansiosos para darmos vazão a todo o potencial do coletivo, corremos para pôr no ar a primeira versão do escambau.org, antes mesmo de prepararmos uma estrutura que pudesse arcar com a produção de podcasts semanais, canal de vídeos, redação e revisão de textos, divulgação…

Óbvio que a tarefa se mostrou excessivamente dispendiosa, quiçá impossível. Mesmo com a importante adição de novos membros à equipe responsável, era necessário parar e repensar todo o planejamento desde o princípio.

Foi o que fizemos nestes dois meses (quase) sabáticos.

Reduzimos a frequência de textos publicados para podermos trabalhar na criação do novo site, mais bonito, rápido e confiável que o anterior. Desenvolvemos nossa Política Editorial, nossos Termos de Uso, e organizamos o trabalho e editorias de conteúdo. Contamos agora com uma sessão dedicada ao jornalismo cultural, ainda em fase beta, mas com uma excelente profissional responsável, além, é claro, de mantermos o fantástico trabalho de curadoria, revisão e edição de trabalhos inéditos que nos chegam através dos nossos Canais de Colaboração.

Porém, a principal das mudanças que estamos fazendo em nosso planejamento é a opção por um modelo de financiamento coletivo, o famigerado crowdfunding. Sempre precisamos de recursos não só para manter o site no ar, como também para desenvolvermos novos projetos, como uma revista literária para o Escambau, nossas antologias e até mesmo os podcasts.

Se você gosta do trabalho desenvolvido pelos Escambanautas, quer ver novas ideias no universo cultural brasileiro, gostaria de conhecer os nossos projetos, desde o Prêmio de Microcontos até a Revista Escambanáutica, apadrinhe o Escambau. Com um real por mês, você já faz a diferença! Entre em nossa página do Padrim (padrim.com.br/escambau/), cadastre-se e colabore. É simples, rápido e fácil. De acordo com o valor que você colaborar, disponibilizaremos recompensas como participação no grupo dos editores, sorteios de livros e brindes, participação em nossos programas, cursos de escrita criativa e ilustração, revisão de textos, divulgação de projetos e muito mais. Leia o projeto, confira as metas e as recompensas.

Acompanhem o novo Escambau, maior, mais vasto, mais completo. Contos, crônicas, poemas, ensaios, críticas, colunas, matérias: há um universo inteiro de arte e cultura a ser explorado por aqui, com a garantia de um conteúdo de qualidade, como sempre.

Esperamos ter ainda outras novidades para compartilhar, novidades que trarão vocês cada vez mais para junto do site. Projetos não faltam, mas saibam de antemão que precisaremos de seu apoio. De verdade.

Afinal de contas, que é o Escambau sem os Escambanautas?

LEIA TAMBÉM:

  • Moacir Marcos

    Avante, Escambanautas!

  • Emerson Braga

    Só tive essa mesma sensação em outubro de 2015, quando entrei em minha casa pela primeira vez, após 4 meses de reforma! Rs! Tá demais!