Trinta Segundos

30 segundos para o fim do ano

Alguém com o relógio adiantado solta o primeiro papoco no céu. O estrondo se espalha e um outro homem pensa que já está na hora. Uma mulher, olha para o relógio.

27 segundos para o fim do ano

Ela acende o rojão e ele é lançado aos céus. Ele é verde, cheio de pontas como um dente de leão E ele estoura, cheio de esperança.

23 segundos para o fim do ano

As pupilas das crianças se dilatam, elas correm para a rua em busca do espetáculo. Olham para o céu, explosões de luz e cor no manto negro.

19 segundos para o fim do ano

Herança chinesa propagada no ocidente, cobrindo o céu com seus berros estridentes. São dragões iluminados, roxos e amarelados.

15 segundos para o fim do ano

Há muitas serpentes aladas no céu. Incontáveis. Os cachorros desesperados pulam e latem. Os donos irritados pedem que os domadores de dragão enfiem os rojões no cu.

12 segundos para o fim do ano

Em meio ao canto dos gigantes, um tiro soa e é esquecido.

8 segundos para o fim ano

Há esperança. Deixamos um ano cheio de maldade para trás.

5 segundos para o fim do ano

Dois mil de dezessete será melhor.

3 segundos para o fim do ano

Há esperança, em seu auge.

1 segundo para o fim do ano

Orgasmo. Torpor.

1º segundo de 2017

Nada mudou

3º segundo de 2017

Os homens brancos estão no poder, roubando comida de nossa boca.

5º segundo de 2017

Suas taças de espumante vibram e eles sorriem.

8º segundo de 2017

Eles roubam, dentro da lei. E nossos filhos morrem de fome.

12º segundo de 2017

Na rua as mulheres andam com medo. Não há liberdade para elas.

15° segundo de 2017

Um negro é abordado. Seu corpo não será encontrado.

19º segundo de 2017

O político transa com suas meretrizes, nós pagamos o programa.

23º segundo de 2017

Nada mudou. Ninguém liga.

27º segundo de 2017

Somos abusados. Ninguém liga.

30º segundo de 2017

Ninguém nunca vai ligar.

Vida que segue.

Nasceu em 1995. Teve uma infância feliz, rodeado de amigos e videogames. Aos 12, caiu do telhado após brigar com o pai por não querer estudar literatura. Ganhou uma cicatriz triangular na mão direita e se apaixonou por Machado de Assis. Decidiu ser escritor e hoje cursa o oitavo semestre de Ciências Biológicas.

LEIA TAMBÉM:

Oziel Herbert

Nasceu em 1995. Teve uma infância feliz, rodeado de amigos e videogames. Aos 12, caiu do telhado após brigar com o pai por não querer estudar literatura. Ganhou uma cicatriz triangular na mão direita e se apaixonou por Machado de Assis. Decidiu ser escritor e hoje cursa o oitavo semestre de Ciências Biológicas.