Resultado da primeira semana – III Prêmio Escambau de Microcontos

Com orgulho apresentamos o top 35, para que está entre o selecionados, parabéns! Para quem não está, não fiquem decepcionados, a maior riqueza é aprendizado da escrita, a gente que acompanha vê a beleza dos trabalhos de vocês. Vamos continuar fazendo a boa arte!

1Giseli Lemos

Amarílis olhou-se no espelho, limpou o sangue que escorria do rosto. — Você é uma mulher forte! Você é uma mulher linda. Gritou! Tirou a maquiagem misturada a areia, suor e lágrimas. A ofensa feriu-lhe a alma, o espancamento, o corpo. A ferida a impediria de fazer a barba por um tempo.

2 Fabiano Sorbara

O maior calote de Armando só foi descoberto quando chegou no céu. Não pagou a alma que o diabo comprou.

3 – Claudia Jeveaux Fim

Pulou em cima dela já buscando um beijo. Não correspondido, mordeu-lhe o lábio. Inevitavelmente, a boneca explodiu.

4 – Renan Santos

O escritor foi ao médico, procurando uma cura para seu bloqueio criativo. — A solução é simples — o médico disse. — Tome este remédio toda noite. — O que tem aqui, doutor? — o escritor perguntou, pegando o frasco cheio de névoa cintilante. — São sonhos, meu caro.

5 – Oziel Hebert

Wolverine arrancou as tripas da Barbie. Um soldado atirou no mutante. O caminhão atropelou todos em meio as onomatopeias. Patati foi o único sobrevivente. Saiu de helicóptero jurando vingança. – Eu voltarei! – disse minha filha, furiosa, em meio aos brinquedos. Sorri.

6 – Tatiana Alves

Vivia pisando em ovos no trabalho. Foi demitido da granja por dano ao patrimônio da empresa.

7 – Emerson Braga

O pescador atravessou veleiro o corpo de Marissol.

8 – André Felipe

“Eu tava morrendo de medo de levar calote.” “Imagine, senhora. Nunca fiz isso”, disse o homem entregando o animal. “Essa lebre é um pouco diferente.” “É porque é novinha. De noite a senhora dá um pouquinho de leite se ficar miando muito.”

9 – Adriel Vieira

Sempre esqueci de ler os nomes dos remédios ou para o que servem, mas quando dei o primeiro passo para fora de casa e vi a primeira nave alienígena na cor rosa cruzar o céu carregando a lua por uma corda feita de leite congelado, voltei e comecei a ler por íntegro e inteiro toda a maldita bula.

10 – Catarina Cunha

Organizando sua coleção de calotes sofridos, Renata encontrou o primeiro: sua certidão de nascimento.

11 – A.c. Costa Ferraz
O disco esfumaçado e brilhante, pousou soltando labaredas.
Ele, solitário, espantou-se. Tremeu e ajoelhou-se.
A porta da nave abriu. — Sou Mulher! Minha missão é melhorar esse planetinha.
— Adão, isso vai brilhar! Pra tu não passar vergonha, fala que ela veio da tua costela. — disse a Serpente.

12 – Junior Spades Bonifácio

Em meio ao mundaréu de gente, a perseguição policial. O soldado atira a esmo. A inocência é atingida em cheio. Uma caixa de lápis de cor ilustra o asfalto.

12 – Carolina Santos

Ele, um soldado. Ela, a moça de fita azul nos cabelos. Um único beijo na estação. A fita, presente preso na farda por um alfinete. Na trincheira, pilhas de corpos dilacerados. No mar vermelho de sangue, o delicado azul do cetim.

13 Giseli Lemos

Papai é verdade que o veleiro do vovô sumiu no mar?
— Como você sabe disso?
— Aquela moça ali na areia me contou…
— Janaína volte pra barraca e fique com sua mãe.
— Mas pai… ela me chamou pra brincar com o vovô na praia.
— Quando eu tinha sua idade ela também me chamou. Volte!

13 – Ana Maria Monteiro

Olhava o corpo no caixão. As lágrimas escorriam-lhe pelo rosto, soltas e irreverentes. Quantas recordações! A avó dizia-lhe: “- Sai. A vida não vem ter contigo, aguarda-te lá fora.”
A avó não estava ali, fundira-se ao mundo. Não deu o beijo de despedida. Saiu ao seu encontro.


14Emerson Braga

Quando criança, se angustiava com a ideia de que os pintinhos não conseguiam respirar dentro do ovo. De certa forma, ele sempre soube que a vida de fato começa depois que alguma casca se rompe.

14Oziel Herbert

Meu não-pai estancou. Minha não-mãe perplexou. Unidos num fiapo de olhar. Ele janela. Ela estação. O maldito do trem escorregou com malícia! Estilhaçou-me. Meus não-pais desencontrados jamais trocariam o beijo que os levaria até mim.

15Elias Araujo

Mãe, o pai trouxe o remédio?
Ela sorriu e assentiu. Lágrima oculta à luz da vela. Arrastou os tamancos para fora do casebre.
Pegou qualquer mato e ferveu na água, usando as últimas brasas. Deu-lhe a caneca, morna como seus olhos.
Ele sorriu, feliz. E dormiu.
Ela, na cadeira, em vigília..

15Loou Bonotto

E um dia, sem mais nem menos, decidiu parar de sentir tanto.
Decidiu parar de sofrer por tudo e por todos.
Enfim descobriu que, para alguns males, o melhor remédio é um simples “Foda-se”.

16Oziel Herbert
Emprego medíocre. Casamento infeliz. Sonhos despedaçados. Decidiu-se. Saltou. O remédio absoluto. O vento escorreu-lhe a cara. O chão se aproximava assassino. Ele gritou emocionado. Abriu o paraquedas. Morreu de rir.

16Catarina Cunha

Beijo o asfalto todos os dias enquanto você passa olhando para o céu.

17Viviane de Melo

Ele tinha um sonho: dar a volta ao mundo em um veleiro. Seguir ao sabor das velas. Ela não. Seu coração sonhava naufragar. Ela ventava.

17 – Felipe Diógenes Abreu

De tremular era feito meu respiro. De ares desencontrados, perdidos, redemoinhados, vivia eu. Me deslizavam vozes e ventos. Ventos de saudade.

Eu fui madeira, pano, corda: Veleiro. Me afundei de saudade. Saudade longe, nascida onde o mar se acaba.

18Mariana Carolo

Abriu a geladeira. Vazia, exceto pelo ovo no meio da ácida brancura. Suspirou. Hoje a vida está garantida.

18Tiago Alves

Padre Anastácio vivia pra dar calote. Sempre que precisava ir às compras, punha a bíblia debaixo do braço. Após selecionar as mercadorias de que necessitava, dizia:
– Que Deus lhe pague meu filho!
E virando as costas, partia sem deixar um tostão sequer. Torcia pra que no céu não lhe cobrassem juros.

19 – Diogo Monteiro
Olhei pro alto, amanhecia. À esquerda minha perna, à direita o inimigo, no tambor uma bala.
O capitão gritou:
– Soldado, morra como um herói!
Optei em morrer em paz.

19 – Edweine Loureiro

Da ilha, ao avistar o veleiro, o náufrago deu gritos de alegria. Da embarcação, também contentes, os canibais acenaram.

20 – Cristina Braga

Por mais que a mãe dissesse para Ana tomar cuidado com vestidos brancos, a menina não tinha sorte. Na primeira vez que usou o manchou de sangue ao se tornar mulher, mas conseguiu disfarçar a saia justa. Na segunda não teve chance, sua foto com um vestido ensanguentado saiu nas manchetes policiais.

20 – Zé Ronaldo

O seu último soldado fora abatido. Não haveria mais jogos de estratégia. As células inimigas estavam tomando conta de todo o campo de batalha. Do lado de fora, através da vidraça, a pobre mãe percebera: o câncer venceu a guerra.

21 – Lais Helena Serra Ramalho

Tudo o que havia naquele apartamento grande e de paredes brancas era uma caixa de ovos. Eram 12 no primeiro dia, 11 no segundo, e assim em diante. Tentou ficar acordada para ver quem os levava, mas o sono sempre vencia. Agora não havia ovos e nem sono. Só a espera e a imaginação.

21 – João Paulo Hergesel

“Pode beijar a noiva”, o padre anunciou.
As almas se conectaram num beijo meloso, máxima daquela manhã manhosa de maio, entre azaleias e magnólias.
O noivo assistiu à cena sem interromper.

22 – Carolina Santos

Madame Bety Butterfly viveu a vida entre o calote e a chantagem, bebia o mundo e vomitava verdades. Não tinha medo, cortava quem fosse na navalha. A alma mais bondosa do alcoice, dava conselhos, fazia partos, lavava feridas. Era a rainha da cidade baixa.

23 – Nanci Ricci

Beijou com batom a cueca do marido e o esperou com ela nas mãos, segurando o riso da piadinha que estava fazendo. Assim que ele entrou e viu, ficou bege, começou a tremer, a suar, a gaguejar que não era nada daquilo que ela estava pensando. Perdeu a cueca, a mulher e a vida.

24Zé Ronaldo

Jorjão entrou. Medo e insegurança o consumiam. O ambiente era uma única respiração. A sobrancelha raspada. Os olhos arregalados. Ele sabia do código. Eles o inventaram. Tensão. Urinou-se. Os olhos sorriram, sequiosos. Nunca mais faria aquilo com uma mulher novamente. Ele iria saber o quão ruim é.

25 – Thiago Luz

O ovo rachou. Os pequenos dinossauros se entreolharam, contentes por mais um no bando. O pai se permitiu o primeiro sorriso em muitos dias de tensão por causa do eclipse solar. Uma lágrima pendeu do olhar da mãe. – Pai, olha, uma estrela caden.

LEIA TAMBÉM:

  • Loou Bonotto

    Ebaaaa…. Fiquei em 15°! Pra mim já foi fera! Estou amando participar.. Parabéns a todos!

  • Gina Eugênia Girão

    Parabéns!!!!!