Resultado da Semana 1 – IV Prêmio Escambau de Microcontos

Segue a lista com o top 35 da primeira semana. Parabéns a todos.

1 – Edweine Loureiro

O Brigadeiro, finalmente reformado, sentiu-se, pela primeira vez, livre para voar: e, desabotoando a farda, ajustou o sutiã.

2 – Israel Passarinho

Tinha guardado consigo um pequeno mostruário contendo a essência dos amores passados, todos devidamente identificados. Quando a solidão apertava, ele abria um frasco de cada vez e cheirava, mas não sentia nada…

3 – Cris Dakinis

Dos Anjos agarrou-se com a medalha de Santa Edwiges, fechou os olhos apertados, firmou-se na prece e… A operadora de cartão de crédito aprovou mais aquela compra…

4 – Fabiano Sorbara

No meio da enchente apenas os potes boiavam. Ele desesperado, sem forças, lamentou não ser um.

5 – Luiz Antonio Caldas Filho

Diziam-lhe que quando morresse iria nadar num lago de fogo pela eternidade. Pediu que lhe enterrassem com o maiô mais cavado que tinha.

6 – Melania Ludwig

O menino estava de olho nos ponteiros do grande relógio da sala de seu apartamento. Aguardava, com um estilingue, no prumo certeiro, o cuco aparecer.

7 – Welington Moraes

A menina estava com a cabeça coberta por um chapéu de papel alumínio. Vira num filme que ele era eficiente contra monstros, assombrações e ets. Ao ouvir os passos de seu padrasto vindo em direção ao seu quarto, em plena madrugada, percebeu que a vida é bem diferente daquilo que acontece no cinema.

8 – Fabiano Sorbara

Vende latinhas de alumínio vazias para comprar as cheias.

9 – Angela Cristina

Valeu a pena fazer o curso de empreendedorismo. Seu faturamento cresceu 10% apenas com a sua mudança no visual. Mostruário bem montado era a melhor forma de vender seu produto. Quando virou puta não pensou que poderia ter prazer no que fazia.

10 – Nanci Ricci

Quando aquele moço bonito não aparecia, ficava todo tristonho por não se ver- refletido em seu olhar. Era um lago apaixonado por si mesmo.

11 – Luiz Antonio Caldas Filho

Sentindo-se premiada por ser mãe de gêmeos, Osória resolveu batizá-los como medalhas:
Aurélio, ouro, o primeiro a nascer.
Argênteo, prata, o segundo.
Uma singela homenagem, que nem dez anos de terapia conseguiriam apagar.

12 – Angela Cristina

Colecionava pote de vidro, dizia. Mas tinha que ser de remédio, preferencialmente cheio. Não se considerava hipocondríaco. Jamais! Experimentava o conteúdo dos potes porque não era afeito ao desperdício. Já que estavam lá, por que não?

13 – Oziel Herbert

– Puta que o pariu, Evaristo. Um Rolex? De ponteiro dourado?

– É, mamãe. Vai ter carne na mesa até o final do ano.

14 – Gabriella Correia

Escolheu o vestido azul celeste.
“Teve sorte”, disse-lhe a vendedora, “Última peça do mostruário. Sua esposa certamente vai adorar”.
Em casa, espelho e paredes como confidentes. Vislumbrou-se. E, pela primeira vez, se permitiu voar.

15 – Felipe Diógenes Abreu

Narcisa, mulher da vida, florescia sua carne na noite, transeunte por entre poças e caminhões. Nas primeiras horas do sol recortava estrelas de papel-alumínio. A mulher tinha um anjo em cada estrelinha – vigilantes prateados com mãos a aparar suas últimas gotas de sonhos.

16 – Regina Ruth Rincon Caires

Festa de aniversário. Na sala reservada, bisavós discutiam a origem do brigadeiro. Uns diziam que o doce surgiu para angariar fundos na eleição de 1945. Outros, jocosos, juravam que, por ser um doce sem ovos, referia-se ao Brigadeiro, ferido na genitália em 1922. Alheios, os bisnetos se lambuzavam.

17 – Maggie Paiva

Depois de admirar intensamente o rapaz quieto e deslocado, de longe, o aniversário inteiro, achou que oferecer comida era uma boa forma de quebrar o gelo.
– Quer um brigadeiro? – perguntou.
– Sou alérgico a chocolate.
– E se for um beijinho? – tentou, oferecendo o único doce que não se via no prato.

18 – Francisco Petrônio

Ao ver na TV o moço recebendo, das mãos do governador, medalha pelos relevantes serviços prestados em prol da qualidade de vida na terceira idade, o senhor que não via o filho há três anos, chama os companheiros do asilo e diz com lágrimas nos olhos:
− Venham ver como o meu filho é bom!

19 – Sônia K. Brandão

Por que vovó guardava aquele pote na prateleira mais alta da despensa? Que preciosidade havia nele? Um dia subi numa cadeira e tentei pegar o pote. A cadeira balançou, o pote escorregou de minhas mãos e se espatifou no chão. Não havia nada dentro. A preciosidade era o pote.

20 – Aline Teodosio

Abriu os olhos ainda sonolenta. A pouca luz que entrava pela janela refletia no relógio vitoriano, herança de sua bisavó. Já estava entediada, todo dia a mesma coisa: o ponteiro marca 3h da madrugava, o vento frio assola o quarto, a cadeira de balanço mexe…

-Bisa, hoje não. Eu preciso dormir.

21 – Francisco Petrônio

Enquanto um segurava o ponteiro, o outro batia com a marreta. Confiança e equilíbrio faziam com que, em trinta anos quebrando pedras todos os dias, jamais errassem uma marretada sequer. Naquela manhã, quando João se lembrou das mãos de Zeca nas ancas de Maria, titubeou… e arrebentou-lhe o crânio.

22 – Andre Albuquerque

Mordeu a medalha do Bonfim e avançou entre a caatinga, contra o soldado republicano. A munição acabara, mas a fidelidade ao beato Conselheiro e a peixeira de doze polegadas, mandaram mais um para o inferno de Canudos, no sol esturricante.

23 – Gabriella Correia

Acabou!, revelavam em monossílabo os ponteiros do relógio. Cento e cinquenta segundos sob a água. Bateu seu próprio recorde. De volta a superfície, percebeu que flutuava enquanto no mar seu corpo boiava, sem vida. O tempo havia acabado.

24 – Fabiano Sorbara

Nos dias quentes usufruia de seu lago particular, com direito a cachoeira artificial, se quisesse mais diversão, mas sempre aparecia um estraga prazer.
– O mãe; o gato tá dentro da privada de novo!

25 – Edweine Loureiro

No último ato, a bailarina retornou ao palco apontando uma metralhadora para o público, que aplaudiu a ousadia artística. E o Cisne Negro, agradecendo os aplausos, transformou o teatro num lago vermelho-sangue.

26 – Fernando Dias Cyrino

Após visitar o bebê eram deixadas, num belo pote, mensagens ao futuro rapaz. O vaso, explicavam, seria lacrado e aberto quando da comemoração dos 18 anos de Felipe. Aos 17 ele tirou o carro da garagem para uma volta. Na curva deu de cara com o caminhão. O pote, fechado, também está enterrado. 

27 – Claudia Jeveaux Fim

Queria engordar a todo custo. Após 15 brigadeiros no café da manhã, emagreceu 1 quilo!!!
Só não perdeu mais, graças ao Imosec.

28 – Thiago Luz

Sonhava pescar as estrelas refletidas no lago. Vaga-lumes d’água, pensava. E quando resolveu voar para alcançá-las na Via Láctea sob seus pés, esqueceu-se de que não sabia nadar.

29 – Rodrigo Domit

Percorreu a sala fria, entre as longas gavetas e macas, observando cada detalhe.
Insatisfeito com o que viu, questionou:
– Não tem nenhuma peça mais fresca no mostruário?
O zelador sentiu a morte pousar-lhe a mão sobre os ombros. Tremendo e gaguejando, respondeu:
– A legista nova não tem família…

30 – Beatriz Chaves
Desde pequeno, tinha um sonho: vencer na vida.
Lutou. Saiu de casa. Desmarcou os lazeres. Hoje não posso, tenho que trabalhar. Tempo é dinheiro, não posso perder.
Venceu. E recostou-se em seu castelo vazio, com uma medalha fria no peito.

31 – Perpétua Amorim
Está escrito, diz a cigana: – Quando o pote for quebrado, surgirá de suas entranhas duas criaturas de aparências iguais e almas opostas. Seguirão por trilhas diferentes e o amor será a destruição de ambas.
O primeiro choro, seguido pelo segundo, trouxe-lhe lembranças para a sala de parto.

 

32 – Janaina Muniz

Subiram a Brigadeiro Amorim cantando hinos de louvor, falando do amor de Deus, vestidos de branco, chorando em fervor e fé. Em meio a esta multidão, uma faixa: “Bandido bom é bandido morto!”.

33 – Sérgio Bernardo

Ela mesma dividiu entre filhas, noras e netas todas as joias que tinha. Até as alianças — a dela e a do marido morto. Só ficou com aquela caixinha de fósforos muito antiga, que guardava um anel de papel alumínio e um retrato de rapaz.

34 – Elias Alves da Silva

Vi um senhor barbudo catando latinhas de alumínio para reciclagem. Entusiasta de todo tipo de iniciativa ecológica, aproximei-me dele e o elogiei. Ressaltei a importância de sua atitude para o bem da ecologia. Ele nem olhou para a minha cara. Só resmungou: “Eu quero que a ecologia se #ø&ª”.

35 – Isaac Morais

No local da venda, aproximou-se do mostruário para analisar minuciosamente a qualidade dos produtos. Um com pernas mais fortes faria um ótimo trabalho puxando carroça, outro mais manso parecia obedecer direitinho. Levou os dois e ainda ganhou de brinde alguns chicotes para por a senzala em ordem.

LEIA TAMBÉM:

  • Sara dos Anjos

    Todos os contos são excelentes!! Estou bem de amigos, alguns feras estão na lista (até DUAS vezes!) !!!! Parabéns a todos!!!

  • Marcelo Silveira

    São microcontos fantásticos!!! Parabéns a todos!!!