Resultado da Semana 2 – IV Prêmio Escambau de Microcontos

Segue a lista com o top 35 da primeira semana. Parabéns a todos.

1 – Cris Dakinis
Ele já estava sem estômago para nada, sentia azia, temia uma úlcera e, embora tomasse antiácido, nada resolvia… Por fim, o peixe pediu a Deus para tirar Jonas de sua barriga. Foi um alívio.

2 – Lara Forte
Na valise maior arrumou todo o ressentimento que guardava do ex-marido. Na bagagem de mão colocou os bons momentos.
Despachou as duas, mas não embarcou.

3 – Rodrigo Domit
A vida resumiu-se a uma disputa de egos: quem aparecia mais, por mais tempo. Relegado ao segundo plano, ele decidiu dar um basta. E precisou de apenas uma bala; para os vinte e três distintos hospedeiros.

4 – Luiz Eduardo de Carvalho
Zoé saiu, como costumeiramente, pela porta da esquerda e deparou-se com o jardim de inverno após a noite da primeira nevasca. Apenas uma rosa vermelha mantinha a cor em meio a tanto branco. Talvez fosse um sinal de que, na primavera, as coisas pudessem voltar a ser o que eram.

5 – Luis Fernando Amancio
O banheiro ficava no quintal. O urinol, ao lado da cama. E, por mais frio que fizesse, ele preferia ir até o banheiro. Se recusava a usar um penico.
Até a noite em que ouviu o forte rugido, vindo de fora. Desta vez, o penico continuou intacto. Só porque não deu tempo.

6 – Zé Ronaldo
Começaram a entender a “taxa de posse” daquele condomínio quando o primeiro morador fora possuído pelo mal.

7 – Iolandinha Pinheiro
— Mamãe! Olha o peixe! — dizia o menino com o nariz encostado no vidro. — Estamos brincando de SUBMARINO?
— Sim meu amor. — respondeu a mulher com a voz tremida, enquanto o carro submergia na profundidade gelada da água do rio.

8 – Joaquim Carlos Trovador
O soldado seguia o comando do sargento que gritava: “esquerda, direita… esquerda, direita”. O coitado até hoje não sabe qual é a sua ideologia!

9 – Carolina Santos
Tudo acabou na última mancha de sangue do último homem na última vingança que marcou a disputa entre as duas famílias que ninguém mais se lembra como começou.

10 – Leandro Leal
Enquanto um dos pacientes lhe ajustava o penico na cabeça, o outro cobria suas costas com a colcha da cama. Erguendo a cabeça brutalizada do diretor como troféu, o novo regente proclamava aos súditos em transe: “O Juqueri é nosso”.

11 – Idalina Gonçalves Queiroz
De tanto ser usada gratuitamente, Zuleide se fez CONDOMÍNIO, dividiu-se em apartamentos e passou a cobrar taxa.

12 – Luiz Antonio Caldas Filho
No altar, prometeram-se amor eterno. Fizeram de suas vidas uma coisa única, um condomínio indivisível. Já no primeiro ano, Júlio pensou que era o síndico, e Ana terceirizou tudo. Tudo mesmo.

13 – Romeu Martins
Um condomínio tão luxuoso, caro e exclusivo que o porteiro eletrônico era uma inteligência artificial chamada 53V3R1N0.

14 – Jéssica Souza
Sentiu uma pontada no estômago que fez revirar os olhos e se contorcer de dor. Ela achou que era úlcera, mas o pronto socorro tinha outros casos mais urgentes. Oito horas depois, no corredor da Santa Casa, pariu o Alien.

15 – Maria Do Carmo Guimaraes Rodrigues
Era na valise de couro marrom que ela guardava suas mais preciosas relíquias.
O marido se recusou a comparecer à missa de sétimo dia, após abrir o sacrácio da esposa, até então, por ele amada.

16 – Maria Luiza Ajouz Gregores
Sofia tinha mais doenças do que fios de cabelo. Asma, diabetes, úlcera gástrica, e a lista só crescia. Surpreendentemente, morreu de amores pelo clínico-geral.

17 – Tatiana Alves
Ela era como um veleiro: aberta, leve e graciosa ao sabor do vento. Ele parecia um submarino: bruto, fechado e sempre pronto pra guerra. No mar das diferenças, o namoro naufragou.

18 – Romeu Martins
Chegou no barbeiro do bairro e pediu:
― Quero um penteado que revele minha personalidade.
Muito prestativo, o profissional da tesoura pesquisou as ideias do cliente nas redes sociais e optou por um corte em forma de penico.

19 – Fabiano Sorbara
Quarentena e nove homens no submarino, quarenta e três dias submersos, sem ver uma mulher, uma sereia se quer, o comandante também sofria com a abstinência, reuniu a tripulação e disse:
— O que acontecer aqui, fica aqui!

20 – A.c. Costa Ferraz
— Não saiba a mão esquerda o que faz a direita. — pregava o doutor.
Das vilas operárias de Londres, atendia aos empobrecidos pelas fábricas; sarampo, varíola, cólera, sífilis e loucos das guerras coloniais…
O bem que Jakyll fazia de dia, um inimigo monstruoso desfazia à noite, um tal de Mr. Hyde.

21 – Edweine Loureiro
Avesso a toda forma de disputa, ao ler no livro de autoajuda que “o homem é rival de si mesmo”, enforcou-se.

22 – Di Graveto
Deitado no colchão na sala ele gemia baixinho, uma dor aguda torcia-lhe a coluna e não o deixava dormir. Ainda tinha uma disputa pelo espaço frio do colchão com dois gatos que reivindicavam um canto da dormida. Suspendeu o sono para sentir aquela dor. Lá fora os galos previam o apocalipse.

23 – Roque Aloisio Weschenfelder
Recebeu a notícia com preocupação: é úlcera que precisa de cirurgia já, antes que vire câncer no estômago.
“Úlcera tem acento agudo, e câncer, circunflexo. Pode cortar fora, doutor.”
“Não corto acentos, somente a ferida.”
Corte tudo, não quero ir ao céu que tem acento, nem ao inferno que não tem!”

24 – Gabriella Correia
Fim de relacionamento doloroso. Carla guardou na velha valise as sobras do que um dia fora seu grande amor. Daria um fim àquilo no lixão mais próximo e recomeçaria a vida. Só não contava que, uma semana depois, o odor atrairia os catadores, a polícia e a imprensa em busca do dono daquela cabeça.

25 – Zé Ronaldo
— Pede penico, viado! — Aquilo ecoava em sua cabeça vez por outra, amargando-lhe a língua de tanta humilhação. Ainda sentia as dores da chave de braço. — Pede penico, anda! — Na sala escura, cheiro de cera queimada e lamentos, aproximou-se do esquife, abaixou-se e sussurrou: — Eu te perdoo, irmão.

26 – Nilde Serejo
A disputa foi suja. Dona Dora teve muito trabalho, após separar as crianças, limpar toda bagunça feita na hora do almoço.

27 – Isaac Morais
É úlcera, mas, por preguiça, disse que é virose mais uma vez.

28 – Delma Maria Lucchin
Pedrão não teve infância, começou cedo na labuta. Agora, como síndico, só investia no playground e na brinquedoteca do seu condomínio. Acreditava na lei da compensação.

29 – Nayara Rossi Brito da Silva
 “E aí você vira duas vezes à… Não se esqueça! Você não quer ir na direção errada!”
Direita ou esquerda? Se errasse continuaria naquele labirinto! Bom, com certeza direita! Foi o que fez, duas vezes à direita.
O cenário mudou. Continuava dentro da floresta, mas dessa vez as árvores tinham rostos.

30 – Fred Rocha
— O sr. está pronto para girar essa chave? – indagou o jornalista.
— Olha, eu fui treinado para isto… e o farei se for preciso. Mas com a certeza de que, se o fizer, já não teria mais pra onde voltar… – tornou-lhe o almirante americano, das entranhas de um submarino nuclear.

31 – Israel Passarinho
A babá não aguentava mais aquela tarefa de trocar fraldas, teve que pedir penico.

32 – Pedro Charles Bonnin
Leandro gostava de manter perto as pessoas que ele amava,por isso guardava o corpo da falecida esposa na valise que levava para o trabalho.

33 – Zé Ronaldo
Vendendo doces no trem, a criança cansara. Sentou-se, ao mesmo tempo em que o homem ao seu lado se levantou, deixando uma valise para trás. Ele pegou a maleta e a colocou sobre as pernas. Abriu-a. Suspirou. Daria apenas tempo de chupar uma bala.

34 – Tatiana Alves
Sempre confundia direita e esquerda, até se apaixonar pela menina canhota do fundo da sala. Hoje é ambidestro.

35 – Sérgio Bernardo
Gostava de quando o pai o levava ao tanque do quintal, para fazerem juntos barquinhos de papel. Depois que ele saiu de casa, os brinquedos vinham pelo correio, como aquele submarino caro, que, sozinho, levou para mergulhar nas mesmas águas. Foi a última vez que brincou com embarcações.

LEIA TAMBÉM:

  • Sara dos Anjos

    Ótimos contos! Parabéns a todos! 🙂