Desenlaces

Ela surge
Na urgência do desejo
Que nunca se foi
Nas lembranças
Incontidas
Que não se desfazem

Ela vem
Na música do rádio
Que ressurge vez em quando
No filme
Que nunca terminava

Ela chega
No cheiro da manhã
Que tinha o gosto dela
Na prosa de Drummond
Que pra ela
eu lia

É como se estivesse
aqui
É como estivesse
em mim
Mas não está
E não se vai

Eu, de longe
A sinto surgir, vir, chegar
Estendo as mãos
Meus pés, inertes

Ela se vai
Caminha de frente
Pra mim
E não a toco, não a toco, não a toco…

Professora de Português, Espanhol e suas Literaturas. Amante da música, da poesia, de romances e de um bom papo. Poetisa, cronista, contista num ensaio eterno. Não vivo sem Machado e ardo por Vinicius. Prazer!

LEIA TAMBÉM:

Capitu de Moraes

Professora de Português, Espanhol e suas Literaturas. Amante da música, da poesia, de romances e de um bom papo. Poetisa, cronista, contista num ensaio eterno. Não vivo sem Machado e ardo por Vinicius. Prazer!