Paraíso, perdão e nudez

E teve o dia que Deus chamou Adão para uma conversa.

— Adão, estive pensando aqui e concluí que expulsar vocês do Paraíso não foi uma boa ideia. Quer dizer, vai me provocar mais dor de cabeça. Pelas minhas previsões, vocês aí fora vão dar tanto trabalho que terei que mandar até o meu filho pra cruz.

— Filho?

— Nem é só isso: terei que causar dilúvio, jogar praga, abrir oceano, ameaçar gente, ressuscitar um, curar outro… Quer saber? Você e Eva estão perdoados. Podem voltar.

— Sério?

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus! Eu achei mesmo um exagero nos expulsar só por comer aquela frutinha…

— Estava proibido. Vocês sabiam.

— O Senhor há de convir que não faz sentido proibir uma mísera fruta, ainda por cima sem nenhuma justificativa plausível. É quase como dizer “não pense num elefante”. O Senhor poderia, sei lá, ter cercado um hectare, dito que estava contaminado, que comer muita fruta faz mal.

— Hum, hum.

— E a serpente, então? Bem que eu avisei. Aquela serpente circulando pra cima e pra baixo, bancando a boazinha, fazendo amizade com Eva… A serpente falava, poxa! Tinha leão falando? Não tinha. Capivara? Vaca? Galinha? Nada. Mas a serpente tagarelando era de boa, ninguém reparou. Claro que ia dar merda.

— Não abusa, Adão. Não abusa.

— Mas e aí, eu e Eva já podemos nos mudar pra cá?

— Perdão é perdão.

— Pois vou chamar o pessoal. A gente levou a sério a história do “crescei e multiplicai-vos”.

— Sim, já sei. Mais de quinhentas cabeças. Ainda bem que vocês um dia inventarão internet e eSports… Ok, ok. Pode chamar.

Adão acenou com a cabeça e deu meia-volta. Deus o chamou.

— Ah, Adão, pode tirar essa tanguinha. Você está perdoado, lembra? Não tem do que se envergonhar.

— Hi…

— O que foi?

— É que o pessoal não gosta muito desse negócio de nudez, não.

— Que história é essa? É a Criação, homem!

— Sempre que alguém aparece nu, falam que é pouca vergonha.

— Adão, eu sou Deus! Estou dizendo que não há problema.

— Mas tem as crianças…

— E o que tem isso?

— Criança vai ver adulto nu?

— Adão, vocês têm roubado e assassinado entre si. Agora vão se importar com crianças vendo corpos nus?

— Senhor, são as Suas palavras…

— Você me viu falando?

— Tá escrito…

— Desde quando eu preciso escrever, rapaz? Eu sou Deus!

Adão pensou, pensou. Deu de ombros.

— Senhor, isso vai dar uma confusão danada. A gente vai ficar aqui fora mesmo, todo mundo vestido, arrumadinho.

Depois que Adão foi embora, Deus chamou o arcanjo Tucaniel.

— A humanidade me tira do sério.

— O Senhor vai castigá-los de algum modo?

— Tem espaço aí pra mais alguma coisa?

Tucaniel consultou a agenda.

— Está lotado de castigo por alguns milênios…

— Pois anota aí pra quando der: criar o Brasil.

— Bra… sil. Anotado. Algo mais?

— Não. Já é castigo suficiente.

Tucaniel voltava para a sua nuvem quando ouviu um silvo por detrás duma moita. Era a serpente.

— Ei, Tucaniel. Aproveita e bota aí no meio aquele nosso projeto, o MBL…

Editor geral do Escambau, administrador por profissão e escritor por necessidade. Escreve às terças-feiras.

LEIA TAMBÉM:

Moacir de Souza Filho

Editor geral do Escambau, administrador por profissão e escritor por necessidade. Escreve às terças-feiras.

  • Angela Cristina

    Crianças vendo corpos nus?
    Arcanjo Tucaniel?
    Projeto MBL?
    Não faltou nada.
    A-MEI!

    • Moacir de Souza Filho

      Muito obrigado, Angela!

  • Sá Tiro

    Muito bom. Pelo menos até chegar ao final, quando se baixou a fasquia para uma piada regional, presumo. Gostei do Tucaniel. Só “torci o nariz” ao “vocês tem”, se bem que Deus é brasileiro, como se sabe.

    • Moacir de Souza Filho

      Sá, obrigado pelo apontamento. Passou batido na revisão.

  • Emerson Braga

    Cara, rindo até o apocalipse! Moacir, eu te amo, cara! Sério! Aplauso! Aplauso!!!!