Resultado da Semana 1 – V Prêmio Escambau de Microcontos

1 – Elias Alves da Silva

Nos últimos metros da maratona, olhou para trás para conferir sua posição. Ninguém à vista. Faltava pouco. Era agora ou nunca – o sonho de uma vida. Ao cruzar a linha de chegada, os funcionários, que já retiravam os equipamentos do evento, assistiram ao seu momento de glória.

2 – Laurel Cantuária

Achava que não sentiria mais nada. Porém, a nostalgia o abraçou quando a esposa lhe trouxe flores. Desejou estar vivo para recebê-las.

3 – Zé Ronaldo

Ouviu o clique. Suou frio. Saci nunca poderia imaginar que membro fantasma pudesse acionar mina terrestre.

4 – Francisco Petrônio

Adorava a casa dos tios: guerras de travesseiros, implicâncias mútuas. Bastou a primeira espinha, uns finos pelos no sovaco e as primeiras alterações na voz do primo para ser proibida de “ir para dormir”. Defrontava-se com a realidade de que sua liberdade termina quando começa a puberdade do outro.

5 – Erinilton Gomes Soares

A prancha de surfe na parede. Recordação do tempo em que a filha era dele e não do mar.

6 – Victor Tsuneichi Chida

A flauta empoeirada no canto da sala era um lembrete constante dos sonhos da juventude. Em seus ouvidos hoje, somente o apito marcando o início de mais um turno.

7 – Thyago Costa

Essa foi a votação mais acirrada que já vi. Os a favor tinham total certeza que era o certo a se fazer, os contrários gritavam com raiva ao discordar. No fim o primeiro grupo venceu e eu já estava fora do meu corpo quando as máquinas que ainda faziam meu coração bater foram desligadas.

8 – Welleslen Rodrigues

2 de setembro de 2045. Houvera a votação. O resultado fora divulgado, e à luz da lua cheia, a nação vibrava em êxtase.  Uma multidão se ordenara nas ruas, a comemorar, e a bandeira vermelha era exibida com vaidade. A esperança, ali, germinara:  O partido nazista vencera por eleições diretas.

9 – Thadeu Melo

Ariel, diante da tela, congela. “Não tenho certeza”, pensa. Recorda de sua vida. Que nunca ficou doente; Da sua aptidão nata para as exatas; De sua paixão pelo sci-fi. É a primeira vez que baixa nesse servidor e não sabe como proceder diante da frase no pop-up que pede seu clique: “Não sou um robô”.

10 – Claudia Jeveaux Fim

Aquele café que a esposa serviu, lembrou sua infância.  A nostalgia disfarçou o sabor amargo do veneno.

11 – Cristiane Dias

Respirou fundo e relaxou assim que a maratona acabou. Só de olhar aqueles atletas correndo já estava ficando sem ar.

12 – Oziel Herbert

Brotou, entre minhas coxas, uma rosa vermelha. E a flauta fervente de Pã, engoli.

13 – Fabiano Sorbara

É recomendação da mãe – Depois de comer não faça esforço! Assim ficou quietinho olhando a prancha de surfe, imaginando a agitação na praia e o nome do surfista que acabara de almoçar.

14 – Mariana Carolo

O amor é milagroso, ela disse. Tocando flauta, ele não a escutou. Sorrindo, ela entendeu que a supernova que criaram começava a se apagar. Nem os milagres são eternos. Ao final daquele ano, restou a escuridão do espaço e um silêncio que soprava ao longe.

15 – Romeu Martins

“O surfe está nas minhas veias!”

“Percebi”, respondeu Drácula cuspindo parafina e fiapos de prancha.

16 – Luiz Antonio Caldas Filho

Na noite boêmia, Lúcio encantava chorinhos em sua flauta transversal. No escuro do quarto, mais tarde, chorava baixinho a falta de Ester.

17 – Emerson Conto

Terminada a votação, recebeu dos colegas de cela um olhar nulo. O código de honra havia sido quebrado e, para que a ordem fosse restabelecida, o eleito deveria morrer. No cárcere, o branco da paz se pintava com mais sangue.

18 – Sá Tiro


Numa História alternativa, o soldado grego partiu de Maratona em corrida, para anunciar a vitória, mas enganou-se no caminho. Quando conseguiu chegar a Atenas, encontrou todas as mulheres e crianças degoladas. Era o combinado, para evitar a violação pelos Persas vencedores. Morreu de remorsos.

19 – Isaac Morais

Com um corte resolveu o problema. Só assim para ter o poder de escolher não virar homem na puberdade.

20 – Tatiana Alves

Achava que tudo na vida era passível de votação, com direito a recurso e a recontagem. Mas se meteu numa terra sem lei, pleito ou sufrágio. E nos olhos da amada vislumbrou abstenção.

21 – Clara Gianni

A puberdade de Madalena sujava lençóis de sangue.
Sujou o seu, quando lhe despertara.
Sujou os de Lúcio, ao entregar-lhe sua rosa de carne desabrochada.
Sujou os do quarto do pai, por fim, quando este descobriu.

22 – Edweine Loureiro

Concluiu o percurso de quarenta e dois quilômetros em duas horas, dois minutos e cinquenta e oito segundos. Não bateu o recorde mundial da maratona, mas, pelo menos, deixara a polícia para trás.

23 – Thadeu Melo

Cruza enfim a linha de chegada, vitorioso! Foi uma árdua maratona. O alívio vem ao subir o topo do pódio. Gozará agora de um longo repouso. Ouve-se um som de beep contínuo.
—Doutor, venha ver.
—Céus…
—Devo avisar os familiares?
—Não, não. Eu cuido disso. Apenas desligue os aparelhos.
—Sim, senhor.

24 – Claudia Jeveaux Fim

Entrava em tubos, picos e até marolas…

A prancha de surfe na parede, o levava ao Secret Point, mesmo preso às máquinas.

25 – Luiz Antonio Caldas Filho

Alguém aqui sabe o que é puberdade?
— É quando o menino e a menina começam a ver aqueles videos?
— Qué isso, Pedrinho? Que vídeos?
— Do Bolsonaro, professora!

26 – Clara Gianni

Urgente! Aos 27 anos, morre a famosa artista pop La… CLIQUE AQUI PARA MAIS INFORMAÇÕES

27 – Cristian X Baek

Rita, trinta e um tombo. Em nove anos de coma viveu inesquecíveis cem vidas, de pó a pó. Desperta agora em eterno déjà-vu, presa e livre. Nostalgia instantânea, um presente com gosto de passado. Futuro não há. Sem medos ou anseios, pois hoje o tempo é não-linear. Nada como o mesmo dia após o outro.

28 – Luiz Antonio Caldas Filho

Encontrara a solução para sua nostalgia. Uma forma de viajar 100 anos no passado. Para azar de todos, não era cientista; apenas presidente.

29 – Laurel Cantuária

Entre um clique e outro, Suzanna fotografou o casamento do homem com quem viveria pelo resto da vida.

30 – Iolandinha Pinheiro

Foram cinco cliques, um para cada membro da família, e em poucos segundos era o herdeiro universal.

31 – Igor

Nada importa, não temos proposito especial e vamos morrer assim que Juninho terminar sua bronha matinal e nos ejacular no ralo do banheiro. Pois somos apenas filhos de um jovem em início de puberdade. E então, quer sair comigo? — Diz o cético espermatozoide para a esperma mais crushada da escola.

32 – Jefferson Lemos

Imediatamente sentiu falta de casa, e ali, sozinho, a nostalgia era sua única companhia. Quão triste era o último homem da terra, preso na lua, vendo seu planeta se dissolver numa bola de fogo colossal.
Não tinha muito o que fazer; chorou.

33 – Carolina Santos

Meu nome? Staphanie Granada. O que eu faço? Ah, eu pratico surfe de trem. Medo? Não tenho medo não. É no “back-side” do metal que toda parada acontece, agora se tomar a “vaca”, aí mano, já era, vira comida de trilho.

34 – Iolandinha Pinheiro

Era um campo muito democrático. Permitiam até que as mães fizessem uma VOTAÇÃO entre elas e escolhessem as vinte crianças que iam ser mandadas para a câmara de gás todo fim de mês.

35 – Sá Tiro

Pastor, ensina-me a tocar flauta!

Tomo este pau de sabugueiro, retiro o miolo, limpo a alma com este ferro em brasa, faço seis furos laterais para os dedos, outro mais largo em cima para os lábios e tapo esta extremidade. Sopras no buraco grande, a rasar a superfície, os lábios apertados; assim!

LEIA TAMBÉM:

  • Natalia

    Parabéns a todos os vencedores.

  • Delma Maria Lucchin

    Parabéns a todos! Micros maravilhosos!

  • Elisabeth Lorena Alves

    Parabéns aos vencedores!

  • Nilo Paraná

    Parabéns a todos classificados. Excelentes contos. E parabéns a todos concorrentes pelo altíssimo nível da competição.