Kindred – Laços de Sangue – Resenha

Kindred foi o livro escolhido para o Leia Mulheres de Fortaleza no mês de dezembro.

Trata-se de um romance escrito por Octavia Butler, escritora afro-americana, consagrada pela escrita de ficção científica que costuma abordar temas como racismo e preconceito. Foi publicado em 1979, mas chegou ao Brasil apenas nesse ano.

lg_c99294d6e935-octavia-butler-bookcase_500

Dana é uma mulher negra que vive na Califórnia, em 1976, é escritora e vive em seu novo apartamento, rodeada de livros com seu marido Kevin.

Certo dia, sente uma tontura e quando percebe não está mais em seu apartamento e sim na beira de um lago, de onde avista uma criança se afogando. Instintivamente corre e consegue salvar a criança mas logo percebe que os pais não recebem sua ação com bons olhos já que se vê na mira de uma espingarda.

E assim começa a aventura da nossa protagonista, que havia viajado no tempo para Maryland, cidade da parte Sul dos Estados Unidos, na época da escravidão antes da Guerra Civil americana. Sim, esse livro é uma ficção de viagem no tempo.

“Já tinha visto pessoas serem surradas na televisão e nos filmes. Já tinha visto sangue falso nas costas delas e ouvido gritos bem ensaiados, Mas não havia ficado perto e sentido o cheiro de suor nem ouvido as súplicas e as orações das pessoas humilhadas diante de suas famílias e de si mesmas.”

O livro levanta uma série de assuntos humanos interessantes, como a relação entre escravo e senhor, as maneiras como um ser humano pode ser subjugado por um sistema e a facilidade com que as pessoas podem se acostumar a algo desumano quando institucionalizado.

Além disso, a protagonista vive uma aventura cujo objetivo principal é a própria sobrevivência e a garantia da sua existência no tempo dela.

Deslocada de seu tempo ela olha os acontecimentos com os olhos do leitor e interage com isso, o que é bastante interessante, pois quem nunca se perguntou o que faria se pudesse voltar no tempo para algum acontecimento histórico, será que conseguiríamos mudar alguma coisa, será que conseguiríamos sobreviver.

Como a maioria das ficções científicas, o objetivo maior da viagem no tempo é gerar reflexões voltadas para as relações humanas, passando por questões de gênero, relação de poder e escravidão.

A edição é simples, a leitura fluída e a história sofrida mas envolvente. Vale a pena conferir.


Leia Mulheres é um projeto que visa a leitura de obras escritas por mulheres, de clássicas a contemporâneas, com encontro mensal presencial para a discussão da obra. O projeto já existe em mais de 26 cidades brasileiras que você pode conferir aqui.

Em Fortaleza, o projeto já existe desde 2014, a organizadora é Alessandra Jarreta e os encontros ocorrem na Livraria Cultura. Grupo do facebook.

Apaixonada por livros e pela cultura pop desde criança, o que transforma seu mundo num local cheio de referências. Bacharel em direito, almeja aprender tantos idiomas quanto forem possíveis.

LEIA TAMBÉM:

Juliana Henrique

Apaixonada por livros e pela cultura pop desde criança, o que transforma seu mundo num local cheio de referências. Bacharel em direito, almeja aprender tantos idiomas quanto forem possíveis.